13 dezembro 2005

OTA e TGV – 150 mil empregos!

O Governo apresentou hoje o projecto do TGV, nos mesmos moldes em que apresentou a OTA. Dezenas de especialistas justificam as decisões politicas do governo. Como para a OTA, os apoiantes vão encontrar todas as virtudes possíveis e imaginárias, os opositores encontrarão apenas defeitos e desvantagens. Contudo, a resolução está tomada, as obras vão avançar, e tenho a certeza, que aquando da inauguração de uma e outra, aqueles que hoje são oposição, se estiverem no poder ou forem convidados, vão estar presentes para a fotografia, batendo palmas e bebendo o champanhe, esquecendo convicções e ideologias. Foi assim na Expo 98, foi assim no Euro 2004, será assim na OTA e no TGV. A elite portuguesa, da direita à esquerda une-se toda em torno dos grandes projectos, dos chamados ‘designios’ nacionais. No final, como sempre, quem paga as favas é o povo.
OTA e TGV, investimentos necessários, estratégicos e estruturantes? Certamente que não. Portugal é um pais relativamente pequeno, o TGV não é indispensável. Indispensável seria uma rede ferroviária moderna, ligando a totalidade das cidades portuguesas. Um grande aeroporto nacional? Porque não três bons aeroportos?


Para reflexão : Na Áustria, quem se quiser deslocar de Innsbruck a Salzburg, (190KM) tem duas hipóteses : auto estrada, com cerca de duas de trajecto e um custo de portagens de 0.25 € (ida e volta) , ou comboio, cerca de duas horas de trajecto, e partidas praticamente todas as horas das 6h00 às 20h00. Não se trata propriamente de um TGV, mas comparado com o comboio Viana do Castelo – Coimbra, com 6 partidas diárias e quase 4 horas de trajecto para a mesma distancia, no caso do comboio, ou 10 € !!!! de portagens pode dizer-se que a diferença é abismal. Ou seja, é a diferença entre um pais desenvolvido, democrático, onde os cidadãos estão no centro das prioridades e investimentos, e um pais atrasado, o nosso, sem ainda ter percebido o que é a democracia, governado por caciques, ora do centro direita, ora do centro esquerda, onde o cidadão é constantemente enganado, explorado e enxovalhado.

As vantagens de comboios rápidos e confortáveis, ligando todas as principais cidades, foram desde há muito tempo percebidas pela totalidade dos países europeus. É o caso da Bélgica, da Holanda, da Áustria, da Alemanha, da França, entre outros. São tudo países burros , nós é que somos bons. Os comboios a 190Km hora não nos servem. Temos que ter um comboio de alta velocidade, mesmo que nunca seja rentável e apenas sirva uma pequena franja da população.
Um TGV é chique, e vai criar 100 mil empregos. Os custos, esses serão os mesmos de sempre a pagá-los. Uma rede de transportes ferroviários moderna, servindo todos os Portugueses de Melgaço a Vila Real de Santo António, não criaria os mesmos, senão mais empregos? E custaria muito mais ? Esses estudos, não foram encomendados. Pois, não somos todos Lisboetas, já me esquecia.

NDS.

1 Comentários:

Às 19:32 , Anonymous Anónimo disse...

Isto é mesmo um país de pacóvios. Em 30 anos, este povinho não conseguiu aprender nada, rigorosamente nada. Pare, cria, educa, elege e mantém no poder gajos que só nos sabem f****. É uma infelicidade nascer neste país!
http://desgovernos.blogs.sapo.pt/

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial