11 dezembro 2005

Choques

Choques

technologia < téchne, arte + lógos, tratado

s. f.,
teoria geral e estudos especializados sobre os procedimentos, instrumentos e objectos próprios de qualquer técnica, arte ou ofício;

técnica moderna e sofisticada;

linguagem específica de uma arte ou ciência.


O Sr. José Sócrates conseguiu chegar ao poder, obtendo a confiança dos portugueses utilizando, entre outros, a bandeira do ‘Choque Tecnológico’. Choque tecnológico que também ajudaria a criar cento e cinquenta mil empregos. Não consigo perceber como os portugueses podem estar tão alheados da realidade, ao aceitarem tais patranhas.
A correcta utilização da tecnologia é uma das componentes de uma sociedade produtiva e competitiva, nem mais, nem menos. Podemos dizer, sem margem para dúvidas, que em Portugal se utiliza a tecnologia de ponta de forma correcta, desde há muito tempo.

Dois exemplos :

1) A banca portuguesa está há anos na vanguarda da inovação tecnológica. Utiliza de forma correcta todos os instrumentos tecnológicos existentes, e graças a isso tem aumentado a sua produtividade e os seus lucros. Os principais bancos Portugueses tem sido os que melhores lucros apresentam na Europa nestes últimos anos.

2) Nos últimos 6 anos, tive oportunidade de efectuar compras em grandes superfícies em países como Espanha, Estados Unidos, Suíça, Áustria, Hungria, Alemanha, França, Dinamarca e Suécia. As tecnologias utilizadas nesses paises são em tudo idênticas às utilizadas em Portugal pelo Modelo Continente, Pingo Doce e outros. Ou seja a disposição/diversidade de produtos, etiquetagem , amostragem de preços e sistemas de facturação/ pagamento. Com o meu cartão de crédito Visa BPI, pude pagar as minhas compras em qualquer desses países, como o faço habitualmente em Portugal.

Portanto, sem margens para dúvidas, em Portugal utiliza-se desde há muito tempo, e de forma correcta, a tecnologia de ponta.

Onde estão os ganhos para o cidadão? As taxas de juro da banca baixaram significativamente nos últimos anos? Não. Os preços dos bens de consumo adquiridos nas grandes superfícies são muito mais baratos? Não. Os salários dos funcionários dessas empresas aumentaram significativamente? Não.

Criar empregos com a utilização das tecnologias de ponta? Nada mais falso. Quantos empregados não dispensou a banca, ao substituir pessoas pelos terminais automáticos, ao substituir analistas por programas informáticos de análise de risco,etc, etc? Quantos empregados não dispensaram as empresas de distribuição ao utilizarem sistemas informáticos de gestão sofisticados?
A utilização da tecnologia permite sem dúvida ganhos importantes para as estruturas empresariais e seus accionistas, mas em detrimento das pessoas. Não sei se é bem ou mal, mas é assim.

Choque tecnológico. Uma enorme treta. É triste ver um primeiro ministro ainda jovem a abusar descaradamente da falta de conhecimento dos seus concidadãos. É triste ver uma comunicação social que se pretende critica e atenta, uma oposição politica e uma intelectualidade a pactuarem com tais tretas. Sobretudo, é triste ver um Povo na Europa do século XXI aceitar tais patranhas.

A competitividade ganha-se com trabalho, sacrifício, disciplina e inovação.Foi assim no passado, é assim no presente e será assim no futuro. A receita para estes factores é só uma : EDUCAÇÃO e CONHECIMENTO. Um povo com educação e conhecimento, é um povo mais justo; é um povo mais respeitador; é um povo mais inovador; é um povo mais competitivo. Um povo com educação e conhecimento utilizará NATURALMENTE todas as ferramentas, incluindo as tecnológicas. Um povo com educação e conhecimento não Idolatra, exige. Não aceita patranhas. Não precisa de choques.

NDS.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial